Dicas

Salton é escolhida como “Produtor Nacional do Ano” no 7º Troféu Vinha Velha

29.10.2020

Com 110 anos de história, a Salton vê seus esforços reconhecidos em mais um importante prêmio recebido em 2020: o de “Produtor Nacional do Ano” no Troféu Vinha Velha, que envolve o mundo do vinho e da gastronomia no Brasil. A iniciativa reconhece, revela e premia anualmente quem se destaca no trabalho pelo setor. O resultado foi anunciado na segunda-feira (26/10), durante a abertura oficial da Grande Prova Vinho Brasil, idealizada e realizada pelo Grupo Bacco.

Todos os anos os vencedores do Troféu são escolhidos após uma enquete com profissionais envolvidos de alguma forma no universo do vinho em todo o Brasil. São produtores, enólogos, jornalistas, sommeliers, importadores e profissionais de destaque em geral que selecionam pessoas e empresas que fazem a diferença no mercado ao longo de um ano. As contribuições, ações e o desempenho dos indicados são levados em conta pelo time que escolhe os melhores nas categorias “Personalidade do Ano”, a “Revelação Mundus Vini” e o “Importador do Ano”.

Vinícola mais antiga do país, a Salton, de Bento Gonçalves – RS, é protagonista quando o assunto são os espumantes. Segundo recentes pesquisas da Wine Intelligence, a cada dez garrafas consumidas no Brasil, três são da Salton. Na lista de prêmios, a marca gaúcha soma ao reconhecimento de “Produtor Nacional do Ano” mais de 80 medalhas conquistadas em concursos nacionais e internacionais nos últimos cinco anos por seus rótulos. “São reconhecimentos que refletem os esforços e investimentos dedicados na vitivinicultura no Brasil, principalmente nas últimas duas décadas”, diz Maurício Salton, diretor-presidente da companhia. “Além de referendar a qualidade de nossos rótulos dentro do Brasil, o trabalho que vem sendo executado abre ainda oportunidades no exterior. Os rótulos da Salton, hoje presentes em mais de 25 países, lideram o ranking de exportação de espumantes finos, segundo a APEX Brasil, com perspectiva de exportação de 1 milhão de garrafas até o final do ano”, finaliza Maurício.